Archive | abril, 2012

1º de Maio – Dia Mundial do Trabalho

27 abr

“A história do Primeiro de Maio mostra, portanto, que se trata de um dia de luto e de luta, mas não só pela redução da jornada de trabalho, mas também pela conquista de todas as outras reivindicações de quem produz a riqueza da sociedade.” – Perseu Abramo

O Dia Mundial do Trabalho foi criado em 1889, por um Congresso Socialista realizado em Paris. A data foi escolhida em homenagem à greve geral, que aconteceu em 1º de maio de 1886, em Chicago, o principal centro industrial dos Estados Unidos naquela época.

http://www.culturabrasil.org/diadotrabalho.htm

Projeto Pé de livro

27 abr

É só pegar das árvores os livros para ler!

Mortalidade infantil cai 47% em dez anos; no Nordeste, queda superou 50%

27 abr

A taxa de mortalidade total no país, que em 2000 era de 29,7‰, isto é, 29,7 óbitos de crianças menores de 1 ano para cada 1.000 nascidos vivos, teve uma redução de 47,6% na última década. Segundo novos números do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de mortalidade infantil em 2010 foi de 15,6‰.

O declínio mais acentuado foi observado no Nordeste (58,6%) e o menor, no Sul (33,5%), região que já apresentava níveis relativamente baixos de mortalidade infantil.

Leia mais http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/04/27/mortalidade-infantil-cai-47-em-dez-anos-no-nordeste-queda-superou-50.htm

Mortalidade infantil cai 47% em dez anos; no Nordeste, queda superou 50%

27 abr

A taxa de mortalidade total no país, que em 2000 era de 29,7‰, isto é, 29,7 óbitos de crianças menores de 1 ano para cada 1.000 nascidos vivos, teve uma redução de 47,6% na última década. Segundo novos números do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira (27) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a taxa de mortalidade infantil em 2010 foi de 15,6‰.

O declínio mais acentuado foi observado no Nordeste (58,6%) e o menor, no Sul (33,5%), região que já apresentava níveis relativamente baixos de mortalidade infantil.

Leia mais http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/04/27/mortalidade-infantil-cai-47-em-dez-anos-no-nordeste-queda-superou-50.htm

Com ajuda de chip, pais saberão por SMS se crianças frequentam escola

26 abr

O gestor esclarece ainda que o projeto visa garantir prioritariamente a permanência dos alunos nas unidades para evitar possível exposição à violência, drogas ou mesmo ao trabalho infantil. “Quando chamávamos os pais para reuniões, percebíamos que eles ficavam surpresos quando se falava sobre a falta dos seus filhos. Por conta disso, havia até o corte do bolsa-família. Deixar os filhos na porta da escola não é garantia, muitos não entravam na unidade, passavam o turno no bairro e eram presas fáceis para cometer atos ilícitos, pequenos furtos ou envolvimento com drogas. A concepção é de que lugar de criança é na escola, até mesmo para combater o trabalho infantil”.

LEIA MAIS

http://g1.globo.com/bahia/noticia/2012/03/com-ajuda-de-chip-pais-saberao-por-sms-se-criancas-frequentam-escola.html

Qualificação dos professores de Minas Gerais, segundo pesquisa

25 abr

A rede estadual de Minas Gerais tinha, em 2011, 157 mil professores, quase todos com curso superior. Os dados mostram que a preocupação não deve ser somente com a graduação e titulação de professores, mas com a qualificação. “Não basta ter um título, porque eles têm e não sabem as coisas.” Os dados, da Secretaria de Educação de Minas Gerais, foram apresentados pelo pesquisador João Filocre, coordenador do grupo de pesquisa em avaliação educacional da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e ex-secretário adjunto de Educação de Minas.

A avaliação é feita a partir de um teste aplicado a alunos do ensino médio em todo o Estado, duas vezes por ano. Como os professores não recebem os gabaritos, precisam fazer a prova para corrigir os exercícios dos alunos. É essa correção que é avaliada pelo governo. Os dados se referem ao primeiro exame de 2010. O conteúdo é selecionado pelo próprio professor, com base naquilo que ele pretende ensinar ao longo do ano.

“O professor usa isso para saber como vão seus alunos, e indiretamente a gente fica sabendo como é que eles estão”, disse o pesquisador. Segundo ele, a avaliação é feita por assuntos, o que permite saber exatamente quais são os conteúdos em que os docentes têm mais dificuldade e tornar os cursos de capacitação de professores mais objetivos. Além disso, os exercícios que os professores fazem são corrigidos com explicações sobre o conteúdo.

LEIA MAIS: http://www1.folha.uol.com.br/saber/1003724-professores-de-mg-erram-13-das-questoes-que-aplicam-aos-alunos.shtml

Hoje, 24/04, 10 anos de Libras

24 abr

Hoje, dia 24 de abril de 2012 estamos comemorando 10 anos de uma conquista muito importante para a Comunidade Surda, a oficialização da Libras como o segundo idioma do Brasil, o reconhecimento do direito de ser Surdo.

“Considerar a diversidade dos alunos surdos, que se encontra entre os educandos nas instituições escolares requer medidas de flexibilização e dinamização da prática pedagógica, a fim de atender efetivamente às especificidades dos mesmos, oferecendo uma educação de qualidade. O ponto inicial e um dos mais importantes é o aprendizado da Língua de Sinais, uma vez que esta atua decisivamente no processo de emancipação, compartilhamento e transformação do aluno e da escola, além de afirmar as pessoas surdas como indivíduos e como participantes da comunidade humana permitindo-lhes participar, aprender e ampliar o conhecimento e exercer a sua cidadania de forma plena.

Com a oficialização da Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) em abril de 2002 (Lei n. 10.436, de 24 de abril de 2002) começa a abrir novos caminhos e a sociedade em vários âmbitos começa a colocar em pauta a importância da Libras para os Surdos, afinal, esta representa um papel expressivo na vida do sujeito surdo, conduzindo-o, por intermédio de uma língua estruturada, ao desenvolvimento pleno.

Orgulho-me de fazer parte da Comunidade Surda e de ter a Língua Brasileira de Sinais como minha segunda língua. E como Educadora, aí vai um convite, que tal aprender Libras?”

Tatiana Papa Pimenta Quites/ Intérprete de Libras

Vice-Presidente da APILSEMG (Associação dos Profissionais Interpretes de Libras e MG) / Profª de Libras do UNI-BH

Comentário de aluna Gabriella Chagas Says:

abril 24th, 2012 at 16:59 edit

  1. Respeitar as diferenças é algo fundamental para o bem social! Bom ter, a alguém inserida na UNI-BH com uma visão que flui respeito ao próximo.