Arquivo | julho, 2011
Imagem

Blog está em recesso! Vc também…um bom descanso para todos….!

3 jul

Anúncios

A literatura infantil e juvenil no currículo do curso de Pedagogia

3 jul

A história da disciplina de literatura infantil e juvenil nos cursos de Pedagogia no Brasil é muito recente, inclusive, nas universidades públicas. Em relação às instituições particulares de Belo Horizonte que oferecem o curso, nem todas têm essa disciplina na grade curricular, e as que têm, não oferecem uma carga horária de 80h, como no Curso do UNIBH.

Nos últimos anos, o Ministério da Educação tem se preocupado muito com a formação docente da educação básica. Foi criado em 1997 o Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), para promover o acesso à cultura e o incentivo à formação do hábito da leitura nos alunos e professores por meio da distribuição de acervos de obras de literatura, de pesquisa e de referência. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) tem recursos financeiros originários do Orçamento Geral da União e da arrecadação do salário-educação para distribuir, gratuitamente, livros de literatura e formação para os professores e de literatura infantil e juvenil para os alunos do 1º ao 9º ano.

Importância da formação do professor em literatura infantil

3 jul

É preciso que os professores entendam que a literatura deve estar presente na escola sem compromissos com avaliações e notas, como aponta a autora Ninfa Parreiras, cujo livro foi lido na íntegra pelas turmas do 8º e 5º períodos, neste semestre. A partir da leitura deste livro, reafirmou-se entre todos nós, a importância da formação do professor em relação ao trabalho com a literatura na sala de aula.

Desde que a disciplina foi implantada no curso, no início de maneira tímida e agora bem mais “incrementada”, em função do aumento da carga horária, procuramos mostrar para o futuro professor o importante papel da literatura infantil na formação de melhores leitores. O aumento da carga horária de 40 para 80 horas, tornou possível atividades como a visita dos alunos à Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, situada à rua Carangola, 288, no santo Antônio. Lá os alunos tiveram contato com o acervo do PNBE e se deliciaram com o belíssimo espaço de conhecimento e cultura na área infantojuvenil, espaço que muitos nem sabiam que existia. A administração da biblioteca nos ofereceu várias atividades, além de ótimas palestras sobre Leitura. As turmas do turno da manhã e da noite puderam conhecer melhor o espaço. Além disso, convidei contadores de histórias para vir à sala de aula mostrar aos alunos a arte de contar histórias para crianças, uma arte que vem sendo substituída, nas salas de aulas, pelos recursos midiáticos.

Esta reportagem foi enviada pela Profa. Idalena

Importância da formação do professor em literatura infantil

3 jul

É preciso que os professores entendam que a literatura deve estar presente na escola sem compromissos com avaliações e notas, como aponta a autora Ninfa Parreiras, cujo livro foi lido na íntegra pelas turmas do 8º e 5º períodos, neste semestre. A partir da leitura deste livro, reafirmou-se entre todos nós, a importância da formação do professor em relação ao trabalho com a literatura na sala de aula.

Desde que a disciplina foi implantada no curso, no início de maneira tímida e agora bem mais “incrementada”, em função do aumento da carga horária, procuramos mostrar para o futuro professor o importante papel da literatura infantil na formação de melhores leitores. O aumento da carga horária de 40 para 80 horas, tornou possível atividades como a visita dos alunos à Biblioteca Pública Infantil e Juvenil de Belo Horizonte, situada à rua Carangola, 288, no santo Antônio. Lá os alunos tiveram contato com o acervo do PNBE e se deliciaram com o belíssimo espaço de conhecimento e cultura na área infantojuvenil, espaço que muitos nem sabiam que existia. A administração da biblioteca nos ofereceu várias atividades, além de ótimas palestras sobre Leitura. As turmas do turno da manhã e da noite puderam conhecer melhor o espaço. Além disso, convidei contadores de histórias para vir à sala de aula mostrar aos alunos a arte de contar histórias para crianças, uma arte que vem sendo substituída, nas salas de aulas, pelos recursos midiáticos.

Esta reportagem foi enviada pela Profa. Idalena

O que você acha?

1 jul

“Admirável Mundo Novo” na disciplina “Educação Inclusiva”, com a Profa. Denise

1 jul

É um livro escrito por Aldous Huxley e publicado em 1932 que narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade organizada por castas. A sociedade desse “futuro” criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que regem a sociedade atual. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos era dissipada com o consumo da droga sem efeitos colaterais aparentes chamada “soma”. As crianças têm educação sexual desde os mais tenros anos da vida. O conceito de família também não existe.

 

“Nosso grupo se encarregou

De o livro socializar

É admirável mundo novo

E é difícil de explicar

Vamos fazer isso logo

E este trabalho acabar

 

Neste mundo do livro

As pessoas são moldadas

Vivem em uma civilização

Toda especializada

Em criar pessoas prontas

                           Pra atividade desejada.”

 

 

Releituras do “Admirável Mundo Novo”, turmas PM8 e PN8

1 jul

“Vou agora apresentar

Um assunto muito serio

A historia de um livro

De um povo e seus mistérios

Admirável mundo novo

É o nome desta serie

Vamos falar de um mundo

Que é difícil acreditar

Homens divididos em classes

Que não podem misturar

Alfa, Beta e Delta.

Divisão de arrepiar (…)”

(…)

“Coloco então a questão

Que não podemos fazer

Tentar moldar as pessoas

Ao nosso jeito de ser

Pois cada sociedade

Tem sua forma de viver”(….)

“Levaram para casa Um selvagem

Que encontraram por lá.

No fundo também queriam

Que seu pai ele fosse encontrar.

O selvagem era John

Homem de outro intelecto

Fazia sacrifício

Para o dono do universo” (…)

“Este mundo é muito estranho, Pessoas são codificadas, O homem não tem esposas

A luxúria é a regra, Matrimônio, pai e mãe, São vistos como piadas.

A terra agora se divide, A população é formada por castas,

O amor é proibido, e o sexo é estimulado.

O segredo da felicidade é pertencer a todos, E a amar o que é obrigado.” (…)