Ranking mundial coloca Brasil nos últimos lugares em educação

28 nov

Tidas como `super potências` da educação, a Finlândia e a Coreia do Sul lideram o ranking, e na sequência figura uma lista de destaques asiáticos, como Hong Kong, Japão e Cingapura. Alemanha, Estados Unidos e França estão em grupo intermediário, e Brasil, México e Indonésia integram os mais baixos. O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores.Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong. Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição. Os resultados foram compilados a partir de notas de testes efetuados por estudantes desses países entre 2006 e 2010. Veja como ficou o ranking Pearson-EIU:http://mail.uol.com.br/main/message?uid=MTEzMDk5&folder=INBOX&externalAcc=&link_security=0&msg_flagged=false&show_msg_header=1#materia8

Comentários de alunas

Responses to “Ranking mundial coloca Brasil nos últimos lugares em educação”

  1. Rayane Says:
    novembro 30th, 2012 at 21:04 editMudanças profundas só acontecerão quando a formação dos professores deixar de ser um processo de atualização, feita de cima para baixo, e se converter em um verdadeiro processo de aprendizagem, como um ganho individual e coletivo, e não como uma agressão.

    Frente aos dados, muitos podem se tornar críticos e até se indagar com questões a respeito dos avanços, concluindo que “se a sociedade muda, a escola só poderia evoluir com ela!”. Talvez o bom senso sugerisse pensarmos dessa forma. Entretanto, podemos notar que a evolução da sociedade, de certo modo, faz com que a escola se adapte para uma vida moderna, mas de maneira defensiva, tardia, sem garantir a elevação do nível da educação.

  2. Aline Says:
    dezembro 2nd, 2012 at 20:29 editEssa é a nossa realidade. E infelizmente permanecemos calados e não fazemos nada para melhorar a educação no país. A mudança efetiva só acontecerá quando todos os brasileiros se indignarem com essa situação e cobrarem de nossos governantes medidas efetivas e investimento para alcançarmos uma educação de qualidade. Não adianta, nos cursos de formação de professores, serem discutidas medidas para amenizar as diferenças e preencher lacunas que a anos estão descobertas. A atitude de mudança tem que começar de cima, do poder, para a sociedade. E com um plano de educação efetivo e investimento, necessário para a formação de uma base concreta, resolveremos todos os problemas futuros e ainda poderemos corrigir alguns antigos. Mas, muitos deles já se tornaram irreversíveis.

Nenhuma resposta to “Ranking mundial coloca Brasil nos últimos lugares em educação”

  1. Rayane novembro 30, 2012 às 9:04 pm #

    Mudanças profundas só acontecerão quando a formação dos professores deixar de ser um processo de atualização, feita de cima para baixo, e se converter em um verdadeiro processo de aprendizagem, como um ganho individual e coletivo, e não como uma agressão.

    Frente aos dados, muitos podem se tornar críticos e até se indagar com questões a respeito dos avanços, concluindo que “se a sociedade muda, a escola só poderia evoluir com ela!”. Talvez o bom senso sugerisse pensarmos dessa forma. Entretanto, podemos notar que a evolução da sociedade, de certo modo, faz com que a escola se adapte para uma vida moderna, mas de maneira defensiva, tardia, sem garantir a elevação do nível da educação.

  2. Aline dezembro 2, 2012 às 8:29 pm #

    Essa é a nossa realidade. E infelizmente permanecemos calados e não fazemos nada para melhorar a educação no país. A mudança efetiva só acontecerá quando todos os brasileiros se indignarem com essa situação e cobrarem de nossos governantes medidas efetivas e investimento para alcançarmos uma educação de qualidade. Não adianta, nos cursos de formação de professores, serem discutidas medidas para amenizar as diferenças e preencher lacunas que a anos estão descobertas. A atitude de mudança tem que começar de cima, do poder, para a sociedade. E com um plano de educação efetivo e investimento, necessário para a formação de uma base concreta, resolveremos todos os problemas futuros e ainda poderemos corrigir alguns antigos. Mas, muitos deles já se tornaram irreversíveis.

  3. Paula Cristina dezembro 3, 2012 às 8:40 pm #

    Percebe-se que é exatamente essa a realidade da educação brasileira,
    a falta de investimento, de preocupação governamental em relação a educação mostra a defazagem do Brasil com relação a outros países.

  4. Carla Dayana dezembro 4, 2012 às 1:11 am #

    É muito triste e assustador os dados, e o fato de sabermos que temos uma educação que não atende aos padrões analisados. nós futuras educadoras devemos lutar incansavelmente para mudar esse gráfico e contar com a sorte e boa vontade de muitos, principalmente do governo que parece estar levando a educação como se fosse brincadeira. Educação é coisa séria e dela depende o futuro da nação.

  5. REGISLANE dezembro 4, 2012 às 9:18 am #

    É uma vergonha para o nosso pais ser colocado como o últimos lugares na educação, acorda Brasil.
    Não podemos permitir o surgimento de uma “geração perdida” de crianças privadas da possibilidade de receber uma educação que lhes permita sair da pobreza.” A pobreza e desigualdade contribui muito para essa colocação.

  6. Paloma Guimarães dezembro 4, 2012 às 2:20 pm #

    O documento da Unesco trata ainda de conflitos armados e mostra que eles tiram 28 milhões de crianças das salas de aula. A situação é agravada porque 21 países gastam mais com a área militar do que com o ensino primário. O texto defende também uma maior ajuda das nações desenvolvidas para combater o problema.

  7. Paloma Guimarães dezembro 4, 2012 às 2:27 pm #

    Bons professores são essenciais “Não há substituto para bons professores”, diz o estudo. “Os países com melhores desempenhos atraem os maiores talentos”. Para especialistas que fizeram parte da análise, mais importante que dinheiro, é o nível de apoio para a educação dentro de uma sociedade.”Enquanto não há dúvida de que o dinheiro investido em educação colhe recompensas, mudanças culturais em torno da educação e introdução da ambição é igualmente, se não mais, importante que a renda para promover melhores resultados educacionais”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: